Há muitos produtos para detecção de gás no mercado que podem parecer iguais, mas ao olhar as especificações atentamente, a funcionalidade e os recursos revelam diferenças importantes em relação ao que os produtos podem fazer e o valor potencial que podem oferecer.De forma similar, aplicações individuais também são únicas em seus respectivos projetos, necessidades e processos envolvidos.

Conheça os riscos de sua instalação

Antes de começar a considerar um equipamento para detecção de gás, é necessário realizar uma avaliação de risco.Qualquer empresa que possua funcionários tem a obrigação de realizar avaliações de risco para identificar perigos em potencial que podem incluir os riscos relacionados a gases, vapores e deficiência de oxigênio.Se perigos relacionados a gás forem identificados, a detecção de gás é aplicável como um método de redução de risco.

Como identificar o objetivo principal

Dependendo dos processos envolvidos e os gases detectados, a notificação de alarme remota e fora do local além dos dados de eventos de registro de dados/relatório também podem ser exigidos para registros de gerenciamento de saúde e segurança.Outro fator impactante na necessidade de funções de relatório aprimoradas pode ser a conformidade regulatória ou uma condição de segurança.

Faça as perguntas corretas

Após identificar o objetivo primário, o equipamento adequado é selecionado com inúmeras perguntas importantes.Estas perguntas estão dentro de três categorias maiores:

  •  O gás a ser detectado e de onde pode surgir
  •  As condições locais e ambientais onde a detecção ocorrerá
  •  A facilidade de utilização por operadores e pessoal de manutenção de rotina

Identifique os gases a serem detectados e de onde podem surgir

Os gases a serem detectados devem ser identificados pela avaliação de risco, porém os fabricantes de equipamentos de detecção de gás com experiência e seus distribuidores aprovados são capazes, com frequência, de ajudar nesse processo com base em suas experiências com aplicações similares.Entretanto, é importante lembrar que é de responsabilidade do usuário final a identificação de todos os perigos em potencial.

Também é essencial identificar a fonte potencial de liberação de um gás, uma vez que isso ajuda a determinar o número e a localização de detectores para um sistema fixo de detecção de gás.

Considere as condições ambientais

O desempenho, precisão e confiabilidade de qualquer equipamento de detecção de gás será afetado pelas condições ambientais a que está sujeito.Os níveis de temperatura, umidade e pressão na localidade têm influência direta no tipo do equipamento que deve ser selecionado.Fatores adicionais como variações potenciais resultando de um processo de produção, flutuações diurnas/noturnas e alterações periódicas também podem afetar o tipo de dispositivo que é adequado.

Entenda a funcionalidade do produto

A próxima área a ser considerada está relacionada com a funcionalidade adicional do produto.Aspectos como a configuração da fiação são importantes, especialmente quando estiver aperfeiçoando uma aplicação existente.Se o aparato está sendo integrado a um sistema de segurança separado, certos protocolos de comunicação também podem ser exigidos como o HART®, Lonworks ou Modbus®.

Também será necessário considerar as especificações para os displays locais nas unidades do transmissor e a configuração local dos displays da unidade e do gás também podem ser uma adição útil.

Faça a medição da facilidade de utilização por operadores e pessoal de manutenção de rotina

A manutenção de rotina é outra consideração importante.Alguns gases e vapores podem ser detectados por inúmeras tecnologias de sensoriamento diferentes, por exemplo,gases de hidrocarboneto com oxidação catalítica ou por infravermelho não dispersivo (NDIR).A oxidação catalítica não fornece uma operação de falha segura e, por isso, pode exigir uma alta frequência de manutenções de rotina, entretanto, as soluções com base em NDIR têm a tendência de ter um preço de aquisição inicial mais alto, mas podem exigir menos manutenções de rotina.O recurso interno para se responsabilizar por essa manutenção de rotina precisa ser identificado e na ausência desse recurso, a destinação de verbas para uma manutenção feita por terceiros é um fator importante na seleção do equipamento correto.