TEL: +55 11 5079-8411

Brasil é o quarto país do mundo com mais acidentes fatais no trabalho

Placas de segurança

Mais de dois milhões de trabalhadores morrem no mundo por ano devido a enfermidades herdadas do trabalho e outros 320 mil por acidentes no horário de expediente. Dentro dessa realidade alarmante, o Brasil se destaca negativamente. É o quarto país em número de acidentes fatais.

Dados do Dieese apontam ainda que os acidentes são mais frequentes quando o trabalho é terceirizado, quatro vezes maior que em condições de vínculo empregatício direto. As profissões que mais trazem risco são as que possuem uma boa quantidade de terceirizados, segundo o Ministério da Saúde. Casos de motoristas, agentes de segurança e trabalhadores da construção civil, além de trabalhadores rurais.

Outra questão pouca abordada sobre os acidentes de trabalho é o seu impacto social. Muitos trabalhadores que ocupam esses postos mais perigosos são arrimos de família, ou seja, o principal ou único sustentador do lar. Nesses casos, há ainda o fator de desestruturação da família.

Estima-se que no país morram sete trabalhadores por dia devido a acidentes de trabalho. O número é apenas ilustrativo, já que esse cálculo, feito pela Previdência, abrange somente trabalhadores registrados em carteira, que correspondem a apenas 50% da população. A outra metade não teve os dados registrados.

Nos acidentes, os membros superiores do corpo são os mais afetados, principalmente em lesões em mãos e punhos. Em 70% dos casos as vítimas são homens com idades entre 25 e 29 anos.

Especialistas apontam que é um erro atribuir esses acidentes só à fatalidade e culpa do trabalhador, embora esses fatores contribuam. É necessário que o empregado receba treinamento e equipamentos de segurança adequados e acompanhe minuciosamente o trabalho de seus empregados, em especial aqueles em condições mais insalubres.

COMPARTILHE

DEIXE SEU COMENTÁRIO